722: Guerra “no espaço” entre EUA e Rússia pode deixar astronauta americano “preso” na ISS

TECNOLOGIA/ESPAÇO/ISS/RÚSSIA-EUA

As posições estão cada vez mais extremadas entre agências espaciais da Rússia e dos EUA. Trocas de acusações têm mostrado uma guerra que poderá levar ao fim da cooperação entre a Roscosmos e a NASA. Para já, a ameaça russa é deixar para trás o astronauta Mark Vande Hei.

O director da agência espacial russa publicou um vídeo ameaçando deixar o astronauta americano na Estação Espacial Internacional (ISS).

Guerra na Ucrânia está a dividir o mundo e o espaço

Depois de uma acesa troca de insultos entre o director da Agência Espacial Roscosmos, Dmitry Rogozin, e o ex-astronauta da NASA, Scott Kelly, as ameaças subiram de tom.

Depois da ameaça, no calor da discussão, de destruir a ISS, agora a Rússia diz que poderá deixar o astronauta americano Mark Vande Hei preso na Estação Espacial Internacional.

Num vídeo no YouTube, Dmitry Rogozin diz mesmo que poderá ir buscar os seus cosmonautas e deixar lá o astronauta americano.

ISS tem actualmente 7 moradores

A Estação Espacial Internacional tem neste momento 7 pessoas a bordo: Anton Shkaplerov, Mark Vande Hei, Pyotr Dubrov, Raja Chari Thomas Marshburn, Matthias Maurer e Kayla Barron.

Mark Vande Hei detém o recorde de maior longevidade em missões espaciais, teoricamente terminará os seus 355 dias no espaço daqui a três semanas, quando ele e os dois cosmonautas russos – Anton Shkaplerov e Pyotr Dubrov – embarcarão numa nave Progress e irão aterrar no Cosmódromo Baikonur, no Cazaquistão.

Na ameaça, Rogozin disse que poderá não trazer Mark Vande Hei, deixando-o para trás.

Rússia poderá separar o seu módulo da ISS

A ameaça do director da Roscosmos não se ficou por deixar para trás o astronauta. O responsável da Agência Espacial russa também afirmou a intenção de “destacar todo o segmento russo da ISS”.

A estação é dividida em diversos segmentos e módulos, onde actuam os astronautas dos seus respectivos países. O módulo Nauka, por exemplo, é um dos módulos russos na estrutura que tem uma massa de quase 500 toneladas.

A NASA e a Casa Branca não responderam à ameaça de Dmitry Rogozin, publicada no YouTube durante uma entrevista num programa de um canal russo.

Apesar de as autoridades dos EUA ainda não terem reagido, esta ameaça não passou ao lado do ex-astronauta da NASA, Scott Kelly. Este usou o Twitter para cobrar explicações de Rogozin. Contudo, Rogozin bloqueou Kelly de interagir com ele.

Fiquei furioso que ele (…) disse que deixaria um membro americano da tripulação para trás. Eu nunca pensei que ouviria nada tão escandaloso. Eu conheço as pessoas da agência espacial russa, algumas delas há mais de 20 anos. Confio nelas. Literalmente já lhes confiei a minha vida antes.

Disse Kelly à ABC.

Kelly referiu também que os EUA deveriam preparar-se para o pior, mas torcer pelo melhor.

E a SpaceX?

Claro que os EUA e a NASA têm actualmente a SpaceX que poderá facilmente substituir a Rússia e a Roscosmos no transporte de astronautas.

Já no passado a empresa de Elon Musk prestou este tipo de serviço. Aliás, foi com esta aliança entre a NASA e a SpaceX que poderá ter começado esta animosidade entre entidades russas a e americanas nesta área espacial.

missão Demo-2 abriu um novo ciclo das viagens espaciais, mais baratas e com controlo total americano.

Pplware
12 MAR 2022
Autor: Vítor M.