74: De Belém chega ruído

OPINIÃO

Para que servem afinal as autoridade da saúde? Para regulamentar, coordenar e orientar as actividades nessa área, emitir normas e orientações, apoiar a definição das políticas, prioridades e objectivos do Ministério da Saúde.

Assim era pelo menos antes de um presidente da República se arvorar em especialista em saúde pública, com uma sub-especialização em pediatria. Marcelo Rebelo de Sousa, já o sabíamos, fala de tudo, a várias horas do dia, como se, em vez de ser o representante de um órgão de soberania, fosse o eterno comentador.

A partir de S. Paulo, no Brasil, onde se deslocou para inaugurar o Museu da Língua Portuguesa – cerimónia que o seu homólogo e anfitrião, alarvemente, ignorou -, Marcelo Rebelo de Sousa resolveu desdizer a Direcção-Geral da Saúde e, simplesmente, lançar a confusão. Numa matéria sensível como esta, os pais precisam de orientações cientificamente informadas. E foi isso que a directora-geral da Saúde veio fazer sexta-feira.

Explicar que os adolescentes, entre os 12 e os 15 anos, serão vacinados se tiverem comorbilidades, ou seja, um risco acrescido de sofrer uma forma mais grave de doença se contraírem covid-19. A vacinação universal, esclareceu, é indicada para os jovens a partir dos 15 anos.

Contudo, em relação aos mais novos ainda há dúvidas sobre os benefícios. Não demorou muito para que o presidente da República, em vez de preservar a serenidade dos encarregados de educação e crianças, viesse dizer que vacinar ou não depende da livre escolha dos pais. E foi mais longe, ao afirmar que estarem ou não vacinadas pode fazer a diferença para frequentarem a escola.

Não é situação inédita, nem será a última, em que Marcelo em vez de factor de estabilidade se apresenta, como Ana Gomes amiúde sublinha, no papel de grande desestabilizador.

P. S. Hoje, Marcelo tem um encontro oficial com o presidente do Brasil, o mesmo que prefere estar presente um encontro de motards a homenagear a língua de Pessoa e Machado de Assis.

*Editora-executiva-adjunta

Jornal de Notícias
paula ferreira
2021-08-02 00:10