695: José Milhazes diz que “há putinistas que têm tempo de antena” em Portugal

OPINIÃO

José Milhazes

José Milhazes diz que “é preciso ter nervos de aço para ouvir coisas absolutamente estúpidas e descaradas” que se ouvem na televisão portuguesa.

O jornalista e historiador José Milhazes é um nome reconhecido no comentário sobre a Rússia e, desde o início da guerra na Ucrânia, tem sido uma das vozes mais activas. Em entrevista ao semanário NOVO, diz que “há putinistas que têm tempo de antena” em Portugal.

José Milhazes diz que há “idiotas úteis que se deixam levar pela propaganda de Putin no Ocidente” e que, em Portugal, “também há generais na reserva, pessoas de alta responsabilidade que ocuparam cargos importantes na NATO, que agora dizem barbaridades”.

“É preciso ter nervos de aço para ouvir coisas absolutamente estúpidas e descaradas em que qualquer pessoa que esteja minimamente informada não acredita”, atira Milhazes.

“Como é que num ecrã de televisão pode um coronel chegar e dizer que as tropas ucranianas devem pousar as armas e a Ucrânia deve render-se para que não haja vítimas? Não sei o que este coronel andou a fazer na tropa”, acrescentou, dizendo que até acha bem que estas pessoas tenham tempo de antena para “mostrar até que ponto pode ir a insanidade mental — ou então, a hipocrisia”.

Milhazes entende que a invasão russa à Ucrânia é “uma coisa absolutamente insensata” por parte da liderança russa.

“Pode ser mais surpreendente a estupidez de Putin do que a atitude que os ucranianos estão a demonstrar”, atirou, mostrando surpreendido com a dimensão da resistência dos ucranianos, numa luta que classifica como entre David e Golias.

José Milhazes argumenta que Putin avaliou mal a fraqueza dos líderes europeus, que “parece que finalmente acordaram”.

“[Putin] estava a imaginar que, quando os soldados russos entrassem na Ucrânia, aquilo fosse como uma faca quente a cortar manteiga”, atirou o jornalista.

Numa altura em que parece não haver forma de travar este conflito, Milhazes diz que Putin pode travar-se a si mesmo. O problema é que o Presidente russo não vai admitir a derrota, pelo que será difícil “ver é como a Rússia vai sair deste conflito sem prejuízo” para Putin.

O Presidente russo já teve conversações com outros líderes políticos, como Macron e Scholz. Contudo, o historiador acredita que estas conversações ” não vão levar a lado nenhum”.

  ZAP //

ZAP
5 Março, 2022