979: Helicóptero Ingenuity avista equipamentos que ajudaram ao pouso do rover Perseverance

CIÊNCIA/ASTRONOMIA

Esta imagem da cápsula e do para-quedas do Perseverance foi recolhida pelo helicóptero Ingenuity da NASA durante o seu 26.º voo a 19 de Abril de 2022. As imagens obtidas durante o voo podem fornecer uma visão do desempenho dos componentes durante a entrada, descida e aterragem do rover no dia 18 de Fevereiro de 2021.
Crédito: NASA/JPL-Caltech

O helicóptero marciano Ingenuity da NASA inspeccionou recentemente tanto o para-quedas que ajudou o Perseverance a pousar em Marte, como a concha em forma de cone que protegeu o veículo no espaço profundo e durante a sua descida ardente em direcção à superfície marciana de dia 18 de Fevereiro de 2021.

Os engenheiros do programa MSR (Mars Sample Return) pediram se o Ingenuity podia fornecer-lhes esta perspectiva. O que daí resultou foram 10 imagens aéreas a cores obtidas dia 19 de Abril durante o 26.º voo do Ingenuity.

“A NASA alargou as operações de voo do Ingenuity para realizar voos pioneiros como este”, disse Teddy Tzanetos, líder da equipa do Ingenuity no JPL da NASA no sul da Califórnia. “Sempre que estamos no ar, o Ingenuity cobre novos terrenos e fornece uma perspectiva que nenhuma missão planetária anterior poderia alcançar. O pedido de reconhecimento do MSR é um exemplo perfeito da utilidade das plataformas aéreas em Marte.”

A entrada, descida e aterragem em Marte é rápida e stressante, não só para os engenheiros cá na Terra, mas também para o veículo que suporta as forças gravitacionais, altas temperaturas e outros extremos que vêm com a entrada na atmosfera de Marte a quase 20.000 km/h. O para-quedas e a cápsula tinham sido previamente fotografados à distância pelo rover Perseverance.

Mas as imagens recolhidas pelo helicóptero (de uma perspectiva aérea e mais próxima) fornecem mais pormenores. As imagens têm o potencial de ajudar a garantir aterragens mais seguras para futuras naves espaciais como o “lander” do programa MSR, que faz parte de uma campanha multi-missão que traria as amostras de rochas, atmosfera e sedimentos marcianos obtidos pelo Perseverance à Terra para análises detalhadas.

“O Perseverance teve a melhor aterragem marciana documentada da história, com câmaras a mostrar tudo, desde a inflação do para-quedas até ao pouso,” dise Ian Clark do JPL, antigo engenheiro de sistemas do Perseverance e agora líder da fase de ascensão do MSR. “Mas as imagens do Ingenuity oferecem um ponto de vista diferente.

Se reforçarem que os nossos sistemas funcionaram como pensamos que funcionaram ou fornecerem até mesmo um conjunto de dados de engenharia que possamos utilizar para o planeamento da MSR, será espantoso. E se não, as imagens continuam a ser fenomenais e inspiradoras.”

Nas imagens da concha e do campo de detritos que resultou do seu impacto com a superfície a cerca de 126 km/h, o revestimento protector da cápsula parece ter permanecido intacto durante a entrada atmosférica em Marte. Muitas das 80 linhas de suspensão de alta resistência que a ligam ao para-quedas são visíveis e também parecem intactas.

Espalhado e coberto de poeira, pode ser visto apenas cerca de um-terço do para-quedas laranja e branco – com cerca de 21,5 metros de largura, foi o maior de sempre já utilizado em Marte -, mas não mostra sinais de danos causados pelo fluxo de ar supersónico durante a inflação. Serão necessárias várias semanas de análise para um veredicto mais final.

Manobras do Voo 26

O voo de 159 segundos do Ingenuity começou às 11:37 da manhã, hora local de Marte, de 19 de abril, no aniversário do seu primeiro voo. Voando 8 metros acima do solo, o Ingenuity viajou 192 metros para sudeste e tirou a sua primeira fotografia. O helicóptero depois dirigiu-se para sudoeste e depois para noroeste, tirando imagens em locais pré-planeados ao longo da rota.

Uma vez recolhidas 10 imagens na sua memória flash, o Ingenuity dirigiu-se para oeste 75 metros e pousou. Distância total percorrida: 360 metros. Com a conclusão do Voo 26, o veículo aéreo registou mais de 49 minutos de voo e viajou 6,2 quilómetros.

“Para conseguirmos as fotos que precisávamos, o Ingenutiy fez muitas manobras, mas estávamos confiantes porque também houveram manobras nos voos 10, 12 e 13,” disse Håvard Grip, piloto chefe do Ingenuity no JPL. “O nosso local de aterragem preparou-nos bem para fotografar uma área de interesse para a equipa científica do Perseverance no Voo 27, perto do cume ‘Séítah'”.

A nova área de operações no delta seco do rio da Cratera Jezero marca uma partida dramática do terreno modesto e relativamente plano que o Ingenuity tem sobrevoado desde o seu primeiro voo. Com vários quilómetros de largura, o delta formou-se onde um antigo rio se uniu ao lago da Cratera Jezero.

Subindo mais de 40 metros acima do chão da cratera e cheio de falésias irregulares, superfícies angulares, rochas salientes e bolsas de areia, o delta parece guardar muitas revelações geológicas – talvez até evidências de que a vida microscópica existia em Marte há milhares de milhões de anos.

Ao chegar ao delta, as primeiras ordens do Ingenuity podem ser ajudar a determinar qual dos dois canais secos do rio o Perseverance deve subir para alcançar o topo do delta. Juntamente com a assistência no planeamento das rotas, os dados fornecidos pelo helicóptero vão ajudar a equipa do Perseverance a avaliar potenciais alvos científicos. O Ingenuity pode até ser chamado a fotografar características geológicas demasiado afastadas para o rover alcançar ou a explorar zonas e locais de aterragem à superfície onde os tubos das amostras podem ser depositados para o programa MSR.

Astronomia On-line
29 de Abril de 2022


Pelas vítimas do genocídio praticado
pela União Soviética de Putin, na Ucrânia
For the victims of the genocide practiced
by the Soviet Union of Putin, in Ukraine