308: Insígnia de Antigo Combatente

Hoje, recebi pelos CTT um envelope da Defesa Nacional, contendo uma carta assinada pela Sra. Secretária de Estado de Recursos Humanos e Antigos Combatentes e um estojo com a insígnia de Antigo Combatente.

A insígnia, informa a carta, poderá ser usada em traje civil, conforme disposto no Estatuto do Antigo Combatente (Lei nº. 46/2020, de 20 de Agosto) e na Portaria nº. 3/2021, de 4 de Janeiro.

Foi uma Honra ter servido a minha Pátria, na Guerra do Ultramar, mesmo sob o regime fascista de Oliveira Salazar e será com orgulho que, a partir de hoje, passarei a usar esta Insígnia de Antigo Combatente.




 

Xanana Gusmão: “Chorámos juntos com o nascimento de Timor-Leste”

O antigo presidente de Timor Leste enviou uma carta à viúva de Jorge Sampaio, na qual faz questão de dizer que recordará o ex-presidente “sempre como um amigo”.

© Orlando Almeida / Global Imagens

O ex-presidente da República de Timor-Leste Xanana Gusmão apresentou “as mais sentidas condolências” à família de Jorge Sampaio, que recordará “sempre como um amigo e uma inspiração dos mais nobres valores da democracia, humanismo e solidariedade internacional”.

Numa carta enviada à mulher de Jorge Sampaio, Maria José Ritta, e família, datada de 10 de Setembro e à qual a Lusa teve hoje acesso, Xanana Gusmão afirma que a consternação pelo falecimento “apenas é aliviada pelo conforto de ter tido a honra e o privilégio de ter convivido pessoalmente com Jorge Sampaio e pela memória dos seus feitos, ímpares na História comum” de Portugal e Timor-Leste.

“São muitos os momentos que tenho gravados na minha memória e no meu coração, mas não posso deixar de destacar o momento em que chorámos juntos ao contemplar o nascimento de Timor-Leste, em 20 de Maio de 2002, projecto que acarinhou e promoveu de forma incansável”, adianta o ex-presidente timorense.

Na carta, Xanana Gusmão afirma que, “na sua admirável carreira, (Jorge Sampaio) nunca deixou de defender os direitos humanos dos povos que mais sofrem e de contribuir para a construção de um mundo mais justo e pacífico” e que “isto é certamente verdade para Timor-Leste e para os timorenses”.

Xanana Gusmão afirma ainda que Jorge Sampaio “continuará sempre junto dos timorenses, nas memórias e nas preces, pois o seu legado irá continuar a inspirar todos os jovens um pouco por todo o mundo, mantendo viva a promessa de paz, democracia e solidariedade para todos”.

Diário de Notícias
DN/Lusa
12 Setembro 2021 — 09:45

 

127: Última Homenagem ao dr. Jorge Sampaio

JORGE SAMPAIO – ÚLTIMA HOMENAGEM

Foto MIGUEL A. LOPES//LUSA

Foto MIGUEL A. LOPES//LUSA

Foto MIGUEL A. LOPES//LUSA

Foto MIGUEL A. LOPES//LUSA

Foto MIGUEL A. LOPES//LUSA

12 Set 13:02
Por Carlos Nogueira

A cerimónia termina com colocação da urna de Sampaio no jazigo de família, após ter sido carregada em ombros pelo filho André Sampaio e por elementos da segurança pessoal de Jorge Sampaio.

12 Set 12:50
PorCarlos Nogueira

21 tiros de salva de artilharia. Insígnias e bandeira dadas à família

As insígnias do antigo Presidente da República, bem como a Bandeira Nacional que cobriu a urna, foram entregues à família.

21 tiros de salva de artilharia foram dados pelo Navio Patrulha Oceânico Sines, no rio Tejo.

As cerimónias vão ser agora privadas, apenas para a família.

12 Set 12:46
Por Carlos Nogueira

Cortejo já está no Cemitério do Alto de São João

A urna de Jorge Sampaio já chegou ao Cemitério do Alto de São João, onde ficará num jazigo familiar. As cerimónias finais serão apenas para a família.

Muitos aplausos das várias pessoas que se encontram no local, exibindo cravos vermelhos.

Até chegar ao cemitério, o cortejo passou pela Avenida da Índia, Avenida 24 de Julho, Avenida da Ribeira das Naus, Praça do Comércio, Avenida Infante D. Henrique, Avenida Mouzinho de Albuquerque, Praça Paiva Couceiro e Rua Morais Soares.

12 Set 12:31
Por Carlos Nogueira

Cinco caças F-16 da Força Aérea sobrevoaram o cortejo, na Praça do Comércio, para homenagear Jorge Sampaio.

12 Set 12:01
Por Carlos Nogueira

Muitos aplausos a Jorge Sampaio no exterior do Mosteiro dos Jerónimos.

12 Set 11:57
Por Carlos Nogueira

A urna de Jorge Sampaio é agora levada para o exterior do Mosteiro dos Jerónimos, sendo depois encaminhada para o Cemitério do Alto de São João.

12 Set 11:57
Por Carlos Nogueira

A cerimónia nos Jerónimos terminou com o hino nacional interpretado pela Orquestra Sinfónica e pelo coro do Teatro de São Carlos.

12 Set 11:40
Por Carlos Nogueira

A Orquestra Sinfónica interpreta agora “In Paradisum”, requiem de Gabriel Fauré.

12 Set 11:31
Por Carlos Nogueira

Ferro Rodrigues: “Sampaio deixa-nos um legado extraordinário”

Eduardo Ferro Rodrigues, presidente da Assembleia da República, é o próximo a discursar nos Jerónimos.

“É bem patente a figura ímpar de Jorge Sampaio que nos deixa um legado extraordinário”

“Neste momento é para lembrar quanto afortunado foi Portugal por ter tido Jorge Sampaio. Serviu como poucos causas justas e a causa pública, com combatividade e enorme generosidade”

“Sampaio prestigiou todos os cargos que exerceu. No momento do seu desaparecimento devemos-lhe a homenagem devida.”

“Jorge Sampaio foi um ilustre português e o seu exemplo vai perdurar por muitas gerações.”

12 Set 11:29
Por Carlos Nogueira

Agora, o coro Orquestra Sinfónica, dirigido pela maestrina Joana Cordeiro, que interpreta “Intermezzo” da ópera “Cavalleria Rusticana” de Pietro Mascagni.

12 Set 11:14
Por Carlos Nogueira

O tributo de António Costa: “Um cidadão exemplar, homem bom e um português de excepção”

O primeiro-ministro António Costa faz agora a sua intervenção.

“Prestamos tributo à memória de um cidadão exemplar, homem bom e um português de excepção. E um político que fez um serviço em prol da comunidade.”

“Foi uma referência e um padrão de exigência. Foi um político com princípios, exigente e ultra-exigente consigo próprio. Foi um político firme e inflexível que nunca cedeu nos valores essenciais e soube sempre construir.”

“Sampaio começou a construir a cidade de Lisboa que é hoje.”

“A defesa de Timor-Leste foi um modelo de inteligência diplomática. Até ao fim foi um homem de causas e valores.”

“Soube encontrar formas eficazes de prestigiar o nome de Portugal”

“Não há portugueses dispensáveis e não podemos dispensar a memória de Jorge Sampaio e entregá-mo-la ao futuro”

“Obrigado e até sempre, Jorge Sampaio.”

12 Set 11:14
Por Carlos Nogueira

Maria do Céu Guerra lê o poema “Uma Pequenina Luz” de Jorge de Sena, que era um dos preferidos de Jorge Sampaio.

12 Set 11:05
Por Carlos Nogueira

A homenagem dos filhos de Jorge Sampaio

Vera e André, filhos de Jorge Sampaio, deixam um depoimento sobre o pai.

“Decidimos falar do nosso pai como falava connosco, com franqueza. Entre nós não havia barreiras. O nosso pai não gostava da arrogância e cultivava a humildade. Gostava de aprender connosco para compreender a outras gerações. Cultivava a amizade e a camaradagem porque sabia que na política, como na vida, nada se podia fazer sozinho. Nos bons momentos, juntava a alegria à capacidade de relativizar as coisas”, disse Vera Sampaio.

“O nosso pai foi popular, sem ser populista, foi sempre próximo, foi estadista, foi amado, foi muitas vezes discreto, foi carinhoso, emotivo e disponível. O nosso pai foi corajoso sem medo de chorar. Foi um homem bom, foi um pai extraordinário”, disse André Sampaio, aproveitando para agradecer a homenagem dos portugueses, mas também a Marcelo Rebelo de Sousa, António Guterres, Ramalho Eanes, Cavaco Silva e Filipe VI, rei de Espanha.

12 Set 10:57
Por Carlos Nogueira

“Não há portugueses dispensáveis”

É exibido um vídeo com momentos marcantes da vida de Jorge Sampaio, nomeadamente uma entrevista à CNN sobre Timor -Leste e ainda um excerto do discurso de posse como Presidente da República, em 1996, no qual disse uma frase marcante: “Não há portugueses dispensáveis.”

Uma mensagem de Xanana Gusmão inicia uma pequena evocação da luta de Sampaio pela autodeterminação de Timor-Leste, acompanhado pelo coro da escola portuguesa de Díli que canta “Ai Timor”.

12 Set 10:43
Por Carlos Nogueira

Jorge Sampaio está nos claustros do Mosteiro dos Jerónimos.

Marcelo Rebelo de Sousa sentado ao lado da viúva Maria José Ritta.

Entre as personalidades presentes estão António Guterres, secretário-geral das Nações Unidas, o primeiro-ministro de Cabo Verde, Ulisses Correia e Silva, o presidente do parlamento de Timor-Leste, Aniceto Guterres Lopes, além de representantes de todos os Estados-membros da CPLP (Comunidade de Países de Língua Portuguesa).

12 Set 10:38
Por Carlos Nogueira

Reis de Espanha e vice-presidente de Angola nas cerimónias

Os reis de Espanha, Felipe VI e Letizia, e o vice-presidente de Angola, Bornito de Sousa, marcam presença nas cerimónias fúnebres do antigo Presidente da República Jorge Sampaio.

As duas delegações vão ser recebidas esta tarde pelo Presidente Marcelo Rebelo de Sousa.

O encontro com os reis de Espanha está previsto para as 14.30 e o encontro com o vice-presidente de Angola para as 15.15.

Lusa

12 Set 10:25
Por Carlos Nogueira

Cortejo já está nos Jerónimos

A urna de Sampaio acaba de chegar aos Jerónimos, onde se encontra o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa. O hino nacional tocado pela banda da GNR assinala a chegada do antigo chefe de Estado.

O primeiro-ministro António Costa e o presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues, são algumas das personalidades que estão nos Jerónimos para a última homenagem a Jorge Sampaio.

12 Set 10:09
Por Carlos Nogueira

Urna de Sampaio a caminho dos Jerónimos

A urna de Jorge Sampaio deixa agora o picadeiro do antigo Museu dos Coches e segue para o Mosteiro dos Jerónimos, numa charrete puxada por quatro cavalos. Pelo meio fará a uma breve paragem à porta do Palácio de Belém, onde entre 1996 e 2006 desempenhou o cargo de Presidente da República. Muitos aplausos à passagem do cortejo.

12 Set 10:03
Por Carlos Nogueira

Xanana Gusmão: “Chorámos juntos com o nascimento de Timor-Leste”

O ex-presidente da República de Timor-Leste Xanana Gusmão apresentou “as mais sentidas condolências” à família de Jorge Sampaio, que recordará “sempre como um amigo e uma inspiração dos mais nobres valores da democracia, humanismo e solidariedade internacional”.

Numa carta enviada à mulher de Jorge Sampaio, Maria José Ritta, e família, datada de 10 de Setembro e à qual a Lusa teve hoje acesso, Xanana Gusmão afirma que a consternação pelo falecimento “apenas é aliviada pelo conforto de ter tido a honra e o privilégio de ter convivido pessoalmente com Jorge Sampaio e pela memória dos seus feitos, ímpares na História comum” de Portugal e Timor-Leste.

“São muitos os momentos que tenho gravados na minha memória e no meu coração, mas não posso deixar de destacar o momento em que chorámos juntos ao contemplar o nascimento de Timor-Leste, em 20 de maio de 2002, projecto que acarinhou e promoveu de forma incansável”, adianta o ex-presidente timorense.

Leia mais

12 Set 09:57
Por Carlos Nogueira

Cortejo pronto para sair e parar no Palácio de Belém

O carro funerário transportando o corpo do antigo Presidente da República prepara-se para deixar o antigo do Museu dos Coches, seguindo depois o cortejo fúnebre para o Palácio de Belém, onde irá fazer uma paragem breve, como forma de lembrar o tempo que Jorge Sampaio ocupou o cargo mais alto do país, entre 1996 e 2006.

12 Set 09:54
Por Carlos Nogueira

Homenagem nos Jerónimos antecede funeral para o Alto de São João

As últimas homenagens ao antigo Presidente da República Jorge Sampaio começam às 11.00 horas com uma sessão evocativa no Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa, que reunirá cerca de 300 pessoas e poderá ser acompanhada no exterior através de um ecrã gigante.

O cortejo fúnebre seguirá depois para o Cemitério do Alto de São João com escolta de honra pela Avenida da Índia, Avenida 24 de Julho, Avenida da Ribeira das Naus, Praça do Comércio – momento em que cinco caças F-16 sobrevoam o local – Avenida Infante D. Henrique, Avenida Mouzinho de Albuquerque, Praça Paiva Couceiro e Rua Morais Soares.

A chegada do cortejo fúnebre ao Cemitério do Alto de São João está prevista para as 13:30 e aí a população poderá prestar um último tributo a Jorge Sampaio.

No cemitério, uma homenagem prestada por militares dos três ramos das Forças Armadas marcará o final das honras fúnebres oficiais, seguindo-se uma cerimónia reservada à família do antigo Presidente.

Lusa

Foto MIGUEL A LOPES/LUSA

Foto MIGUEL A LOPES/LUSA

Foto MIGUEL A LOPES/LUSA

Foto MIGUEL A LOPES/LUSA

Foto MIGUEL A LOPES/LUSA

Foto MIGUEL A LOPES/LUSA

A homenagem a Jorge Sampaio na Câmara Municipal de Lisboa, da qual foi presidente de 1990 a 1995.
Foto RUI MINDERICO/LUSA

No Palácio de Belém a bandeira está a meia haste
Foto André Luís Alves / Global Imagens

Sampaio da Nóvoa recorda “um grande e imenso senhor da liberdade”

O antigo candidato presidencial António Sampaio da Nóvoa recordou Jorge Sampaio como “um grande e imenso senhor da liberdade” e “um grande humanista”.

“Estamos a homenagear um grande humanista, um homem com uma profunda visão do mundo, que olhava para o mundo do presente e para o mundo do futuro”, afirmou Sampaio da Nóvoa, em declarações aos jornalistas, depois de ter passado pelo velório do antigo Presidente da República, que decorre hoje em Lisboa.

Sampaio da Nóvoa, que disputou as eleições presidenciais de 2016, recordou Sampaio como “um homem extraordinário”.

“É com muita tristeza que aqui estamos hoje, apetece-nos silêncio, mas o dr. Jorge Sampaio não nos deixava ficar em silêncio, obrigava-nos à palavra e à acção. Um grande e imenso senhor da liberdade, um grande e imenso humanista do nosso tempo”, sublinhou.

Lusa
11 Set 13:53
Por Paula Sá

Primeiro-ministro de Cabo Verde em Lisboa para representar país nas cerimónias fúnebres

O primeiro-ministro cabo-verdiano, Ulisses Correia e Silva, desloca-se hoje a Portugal para representar o Estado de Cabo Verde nas cerimónias fúnebres do antigo Presidente português Jorge Sampaio, que se realizam este Domingo, em Lisboa.

Segundo fonte do gabinete do primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva já tinha enviado na sexta-feira uma carta de condolências ao Governo português, manifestando “profundo pesar” pela morte de Jorge Sampaio e na qual recorda o antigo Presidente como “um homem de princípios” e “uma figura incontornável da consolidação da democracia portuguesa”.

“Reconhecido pelo seu percurso democrático e pela sua capacidade de luta contra a ditadura e de luta pelas causas da democracia, da defesa dos direitos humanos e na promoção da dignidade dos refugiados”, destacou Ulisses Correia e Silva.

Também o Presidente da República de Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca, enviou na sexta-feira uma mensagem de condolências ao homólogo português, Marcelo Rebelo de Sousa, afirmando que a morte de Sampaio foi uma notícia que deixou “todos mais pobres”. “Jorge Sampaio foi um grande amigo de Cabo Verde e dos cabo-verdianos, desde a primeira hora, tendo visitado o nosso país por duas vezes, durante os seus dois mandatos, deslocando-se às ilhas do Fogo, São Vicente e Santo Antão, onde fez questão de ir conhecer Ponta do Sol e a enfermaria onde trabalhou o antigo Presidente de Angola, Agostinho Neto, no seu exílio em Cabo Verde”, afirmou Jorge Carlos Fonseca, na mensagem.

Recordou Jorge Sampaio como “uma das figuras de proa da democracia portuguesa” e que pertenceu “a uma geração que fez da luta pela liberdade e da solidariedade pelos mais desfavorecidos o seu lema de vida”.

“Destacou-se, igualmente, por promover o bom relacionamento com os países africanos de língua oficial portuguesa, sempre pronto para ouvir, compreender, procurando consensos e aconselhar”, escreveu ainda o Presidente de Cabo Verde.

Lusa
11 Set 13:39
Por Carlos Nogueira

Pedro Siza Vieira: “Despeço-me de alguém que foi meu mestre”

Pedro Siza Vieira, ministro de Estado e da Economia, fez uma breve declaração aos jornalistas à saída do velório, depois de ter cumprimentado a família de Jorge Sampaio. “Despeço-me hoje de Jorge Sampaio chefe de Estado, presidente da Câmara de Lisboa e deputado, mas também me despeço de alguém que foi meu mestre, meu amigo, com quem me habituei a servir a causa pública, procurando seguir sempre o seu exemplo de integridade e cortesia no trato político”, disse, acrescentando estar perante “um momento muito emocionante” do ponto de vista pessoal.

“Sei que a memória de Jorge Sampaio vai ficar connosco para sempre”, finalizou.

Além de Pedro Siza Vieira, e do ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, que tem estado em permanência como tutela do protocolo do Estado, marcaram também presença no antigo picadeiro real a ministra de Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva, da Saúde, Marta Temido, e da Cultura, Graça Fonseca.

Do Governo, prestaram também condolências à família de Jorge Sampaio os ministros da Agricultura, Maria do Céu Antunes, Justiça, Francisca Van Dunem, Educação, Tiago Brandão Rodrigues, Administração Interna, Eduardo Cabrita, Segurança Social, Ana Mendes Godinho e Administração Pública, Alexandra Leitão, entre outros.

Lusa
11 Set 12:25
PorCarlos Nogueira

Urna de Jorge Sampaio chegou ao antigo Museu dos Coches

As mais altas personalidades do Estado – Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues, e primeiro-ministro, António Costa – estão presentes no antigo Museu, que se situa junto ao Palácio de Belém, a acompanhar a chegada da urna de Jorge Sampaio.

A câmara-ardente será a partir das 12h00 até às 23h00, período em que os populares poderão prestar a última homenagem ao antigo Presidente da República.

11 Set
Por Paula Sá

No Museu dos Coches está tudo preparado para a chegada da urna de Jorge Sampaio


11 Set 10:46
Por Carlos Nogueira

O adeus a Jorge Sampaio já começou

As cerimónias fúnebres de Sampaio iniciaram-se este sábado, pelas 10h10, altura em que o corpo do antigo Presidente da República começou a ser levado em direcção ao antigo Museu dos Coches.

Pelo caminho há uma homenagem na Câmara Municipal de Lisboa, onde Jorge Sampaio foi autarca entre 1990 e 1995, e em que estão presentes tanto o presidente do município, Fernando Medina, como todo o executivo camarário, deputados municipais e presidentes de junta de freguesia.

A família procede à entrega das insígnias de Grande -colar da Ordem Militar da Torre e Espada, do Grande-colar da Ordem do Infante D. Henrique e do Grande-colar da Ordem da Liberdade – as que Jorge Sampaio tinha recebido – a três militares da Guarda Nacional Republicana, que as colocaram junto à urna do antigo Presidente da República.
11 Set 10:38
Por Paula Sá

Ramalho Eanes apela a preservação do projecto de apoio a refugiados de Jorge Sampaio

O primeiro Presidente da República eleito no pós 25 de Abril. Ramalho Eanes, fez este sábado um apelo para que seja preservado, pela sociedade civil, o projecto de apoio aos refugiados de Jorge Sampaio. Isto no primeiro dia de luto nacional do antigo Chefe do Estado e quando começam as cerimónias fúnebres.

Mais do que palavras elogiosas sobre Sampaio – e também as teve – Eanes quis destacar lembrar quanto seria “importante” seria preservar o seu legado. Nomeadamente pelas instituições públicas para que a “democracia portuguesa não seja só uma forma de governo, mas uma sociedade moderna, inclusiva e democrática”.

Ramalho Eanes destacou o papel de Sampaio ao serviço da ONU na luta contra a tuberculose como impulsionador de uma plataforma global para apoio de estudantes sírios e que recentemente quis alargar a jovens afegãs.

“Foi um companheiro extremamente importante e inspirador na luta pela implantação da democracia em Portugal”, afirmou o antigo Presidente da República.

11 Set 10:23
Por Paula Sá

Diário de Notícias
1 Setembro 2021 — 12:38

 

18.Jul.2016~18.Jul.2021 – 5 anos de eterna saudade

Faz hoje cinco anos que a Tina partiu, deixando um vazio enorme nos nossos corações.

Para a semana, vamos tratar do seu levantamento e mandar cremar as ossadas. O pote para as cinzas deve chegar amanhã se não existirem entraves na entrega porque esta já era para ter sido recebida esta semana e não foi.

As suas cinzas regressarão à casa que ela escolheu há 22 anos e ao quarto onde miseravelmente e por incúria médica, saiu para a urgência do hospital onde viria a falecer não da doença propriamente dita, mas de insuficiência respiratória devido a sépsis.

Como uma Esposa exemplar, uma Mãe e Avó magnífica, carinhosa e sempre atenta aos mínimos detalhes, tendo ajudado centenas e centenas de doentes internados quando trabalhava no hospital, quando precisou de ajuda de “profissionais” de saúde – aqueles que, quando terminam o curso de medicina fazem o juramento de Hipócrates -, foi-lhe negada, miseravelmente a ajuda de que tanto necessitava.

Por tudo o que passaste, durante os mais de seis anos de doença e em que fui teu cuidador, sem ter a mínima preparação e/ou conhecimento, mas dando o melhor que podia e que ia inventando para aliviar o teu sofrimento, de certeza absoluta que te encontras em Paz.

Parte da tua história, das nossas (eu e da Vera) visitas ao cemitério, onde te levávamos as flores que tanto gostavas, encontra-se gravada no meu Blogue

https://inforgom.pt/new-cuidador/

que depois da tua cremação, será encerrado mas continuará on-line.

 

3: Belenenses regressa às Salésias para a festa da subida

Equipa principal dos azuis vai receber o Amavita a 28 de Abril num palco histórico para o clube, onde o clube de Belém se sagrou campeão nacional em 1945/46

© DN

Já com a promoção assegurada à Divisão de Honra da AF Lisboa, a equipa principal de futebol do Belenenses vai disputar o próximo jogo em casa, diante do Amavita, no Campo das Salésias, a 28 de Abril, num encontro em que os azuis poderão assegurar matematicamente o primeiro lugar no campeonato.

Esse regresso às Salésias ganha simbolismo por o clube estar em ano de centenário e por ter sido nesse palco que o emblema da Cruz de Cristo se sagrou campeão nacional pela única vez em 1945/46.

As Salésias foram desactivadas em 1956, quando foi inaugurado o Estádio do Restelo, mas recuperadas como património do clube em 2014 e reinauguradas em 2016.

Numa nota no seu site oficial, o Belenenses promete revelar nos próximos dias “o programa de um dia especial não só para o Belenenses mas para todos os desportistas portugueses”.

Diário de Notícias
16 Abril 2019 — 11:55

O meu querido Pai, foi jogador deste Clube e Campeão Nacional em 1945/46, época em que arrumou as chuteiras e eu nasci. Morava a “meia dúzia” de metros do campo das Salésias e ainda fui algumas vezes com ele ver os jogos do Belenenses.

Naquela época, os jogos de futebol eram aos Domingos à tarde e ficava à janela a ver passar o pessoal que ia ver o jogo.

Muitas saudades desses tempos e do Homem que me deu vida.