378: A gravidade da Lua e do Sol influenciam a actividade biológica na Terra mais do que se pensava

CIÊNCIA/ASTRONOMIA

(CC0/PD) PIRO4D / pixabay

Uma nova meta-análise pretende alertar para a prevalência da influência das forças gravitacionais da Lua e do Sol nos comportamentos dos animais e das plantas na Terra.

Estão lá longe no céu, mas têm mais influência na vida na Terra do que se pode pensar.

Uma meta-análise a estudos anteriores publicada no Journal of Experimental Botany concluiu que a gravidade do Sol e da Lua afectam a actividade da flora e da fauna na Terra, apesar de ainda não serem claros quais os mecanismos desta influência.

As correntes gravitacionais podem mudar a forma como os animais e as plantas dormem e crescem, mesmo quando se tem em conta outros factores, como os ciclos do dia e da noite, escreve o Science Alert.

Apesar de serem fracas, estas correntes continuam a ser importantes no comportamento dos organismos. “Toda a matéria na Terra, tanto viva como inerte, experiência os efeitos das forças gravitacionais do Sol e da Lua expressas na forma de correntes”, revela o biofísico Cristiano de Mello Gallep da Universidade de Campinas no Brasil.

“As oscilações periódicas exibem dois ciclos diários que são modelados mensalmente e anualmente pelos movimentos destes dois corpos celestes. Todos os organismos no planeta evoluíram neste contexto“.

A equipa analisou três estudos em particular. Um de 1965 que concluiu que os padrões de nado dos isópodes (crustáceos pequenos sem conchas) acompanhavam as correntes gravitacionais do oceano, mesmo quando foram colocados num tanque de água num laboratório com marés artificiais.

Outro foi uma investigação de 1985 a corais, que mostrou que o crescimento dos corais e a produção de larvas correspondiam às correntes gravitacionais do Sol e da Lua. Finalmente, um estudo de 2014 que observou a germinação das sementes de girassóis concluiu que esta também ia ao encontro dos padrões da gravidade.

“Os dados mostram que na ausência de outras influências rítmicas, como a luz ou a temperatura, as correntes gravitacionais locais são suficientes para organizar o comportamento cíclico destes organismos”, remata Gallep.

Esta questão já não é nova, mas o objectivo desta meta-análise foi chamar atenção para quão prevalecente a influência do Sol e da Lua é e para a necessidade deste factor ser mais tido em conta em investigações futuras.

  ZAP //

ZAP
12 Janeiro, 2022