Entre o “choro” e a “alegria”…

O futebol hoje em dia, deixou de ser o verdadeiro futebol dos anos 40/60. Nessas épocas, jogava-se futebol, em terreno de terra batida, para homens de barba rija, ganhando uns míseros “escudos” (até os equipamentos eram lavados nos domicílios dos jogadores).

Na era moderna, existem mercenários que são vendidos nos mercados como antigamente eram os escravos, com as devidas alterações. Um homem (jogador) pode ser vendido por milhares ou milhões de €uros.

E as “emoções” entre saídas de um clube do “coração” e a entrada noutro clube (que ainda não é do coração, mas onde quer ganhar muitos títulos e milhões), são muito ténues. Fica bem na fotografia chorar na hora da despedida e no outro dia fica excelente rir de satisfação na entrada no novo clube.

Messi em lágrimas no adeus ao Barcelona. “Não estava preparado para isto”
© Pau BARRENA / AFP

Messi apresentado no Paris Saint-Germain.
PSG – Paris Saint-Germain

Os TRINTA E OITO MILHÕ€S/ano fizeram a diferença “sentimental”…

Pai, no teu tempo não existia nada disto, n’é? Campos de terra batida, não existiam “mergulhos” senão quem pagava era o corpinho (hoje, a relva atenua as dores), ordenados que nem davam para a “bucha”, partia-se a cabeça, continuava-se a jogar… Bons tempos de futebol e de Homens com garra !

Francisco Gomes

Clube de Futebol “Os Belenenses”