1048: Pensionistas que recebem até 1.108 euros têm aumento extra (de até € 10,00) com retroactivos a Janeiro

– Vamos lá desmontar mais esta falácia a ver se nos entendemos! Diz a governança que “Em 2021, o aumento extraordinário foi pago aos pensionistas que recebem até 658 euros (1,5 IAS).“. Ora, não explica se apenas se referem às pensões de reforma propriamente ditas, se acumulam as pensões de reforma com as Pensões de “Sobrevivência”. É que o último “aumento” que tive na pensão de reforma (€ 623,25), foi de uns miseráveis € 5,81; na Pensão de “Sobrevivência” (€ 155,78), foram uns astronómicos € 1,45. Ora, se juntaram a pensão de reforma com a pensão de “sobrevivência”, o valor total foi de € 779,03 o que passou dos até € 658,00 (1,5 IAS) passíveis de aumento. Como o actual valor das duas pensões, com o astronómico aumento de € 7,26 passou para (€ 786,29) que penso ficam abaixo dos € 1.108,00 estipulados no OE 2022, ganhei a lotaria de até € 10,00 de aumento e já marquei mesa no Gambrinus para uma almoçarada de marisco com entradas de lagosta, lavagante, lagostins e terminar em gambão moçambicano, tudo regado com um esfusiante Lour-inho Alentejo branco 2019 (12,5%) (Cortes de Cima).

A Pensão de Sobrevivência é um valor pago mensalmente (no início de cada mês), cujo montante é determinado em função da pensão de reforma que o falecido teria à data do óbito. É uma pensão paga a familiares do falecido (beneficiário do regime geral ou do regime rural da Segurança Social) e destinada a compensálos pela perda de rendimentos que resulta do seu óbito.

SOCIEDADE/PENSIONISTAS/AUMENTOS DE MISÉRIA

O valor da actualização automática que foi efectuada em Janeiro é incorporado no valor da actualização extraordinária.

Sistema de convocatória para vacinação por SMS não está a funcionar para idosos.

Os pensionistas que recebem até 1.108 euros por mês vão ter este ano um aumento extraordinário de até 10 euros com retroactivos a Janeiro, confirma a proposta de Orçamento do Estado para 2022 (OE2022) entregue esta quarta-feira no parlamento.

“Em 2022, o Governo procede a uma actualização extraordinária das pensões, com efeitos a 01 de Janeiro de 2022”, pode ler-se na proposta orçamental.

Segundo o documento, a actualização extraordinária “é efectuada pelo valor de 10 euros por pensionista, cujo montante global de pensões seja igual ou inferior a 2,5 vezes o valor do indexante dos apoios sociais (IAS)”, ou seja, 1.108 euros.

O valor da actualização automática que foi efectuada em Janeiro é incorporado no valor da actualização extraordinária.

Em Janeiro, as pensões foram actualizadas de acordo com a lei que tem conta a inflação e o crescimento económico com aumentos entre 1% e 0,24%.

De acordo com a proposta do OE2022, “os retroactivos que sejam pagos ou colocados à disposição dos pensionistas, em virtude da actualização extraordinária prevista no presente artigo, são objecto de retenção na fonte autónoma, não podendo, para efeitos de cálculo do imposto sobre o rendimento das pessoas singulares (IRS) a reter, ser adicionados às pensões dos meses em que são pagos ou colocados à disposição”.

A taxa de retenção a aplicar aos retroactivos “é a que corresponder ao valor das pensões referentes ao mês em que aqueles são pagos ou colocados à disposição”, prevê o documento.

O aumento extraordinário já tinha sido anunciado pelo Governo e vai abranger cerca de 1,9 milhões de pensionistas e terá um custo de 197 milhões de euros, de acordo a apresentação do ministro das Finanças, Fernando Medina.

Em 2021, o aumento extraordinário foi pago aos pensionistas que recebem até 658 euros (1,5 IAS).

Diário de Notícias
DN/Lusa
13 Abril 2022 — 15:23


Pelas vítimas do genocídio praticado
pela União Soviética de Putin, na Ucrânia
For the victims of the genocide practiced
by the Soviet Union of Putin, in Ukraine


Mais um “ASSALTO” a quem menos tem…

SOCIEDADE/IMPOSTOS/IRS

A tão badalada e falaciosa (já estava à espera disso) divisão das tabelas do IRS, “beneficiando” uns quantos milhares de contribuintes, caíram negativa e novamente em quem teve a infelicidade de ficar viúvo e menos posses possui para enfrentar a (sobre)vivência e vive diariamente no fio da navalha.

Estive a fazer uma simulação do IRS de 2021, no Portal das Finanças – que vou ter de pagar este ano de 2022 – e o resultado foi este:

– Em 2008 e 2009, na condição (ainda) de casado, a taxa foi de 10,50% e paguei ZERO;

– De 2010 a 2012, na condição (ainda) de casado, a taxa foi de 11,50% e paguei €540,85 apenas referente ao ano de 2012;

– De 2013 a 2015, na condição (ainda) de casado, a taxa foi de 14,50% e paguei € 979,67, €747,93 e €831,15, respectivamente;

– Em 2016, na condição de viúvo, a taxa foi de 28,50% e paguei €913,24 (a esposa faleceu em Julho de 2016);

– Em 2017, na condição de viúvo, a taxa foi de 28,50% e paguei €1.692,94;

– Em 2018, na condição de viúvo, a taxa foi de 28,50% e paguei €1.520,20;

– Em 2019, na condição de viúvo, a taxa foi de 28,50% e paguei €1.587,36;

– Em 2020, na condição de viúvo, a taxa foi de 28,50% e paguei €1.619,21:

– Em 2021, na condição de viúvo, a taxa foi de 28,50% e vou ter de pagar €1.669,69.

Resumindo, quando era casado (dois rendimentos), fomos taxados em 10,50% (2008~2009), 11,50% (2010~2012) e 14,50% (2013~2015).

Em 2016 já como viúvo (meio ano), a taxa subiu para 28,50% (foi castigo?), que se manteve até ao presente.

Ou seja, metade do rendimento recebido, mais do DOBRO de taxa aplicada e mais do DOBRO de imposto a pagar!

Isto é justo? São estas as medidas profilácticas/falaciosas desta governança? Quanto menos se recebe, mais se paga de IRS?

Apenas para terminar:

Em 2008, o rendimento do casal era de €18.518,72, pagámos € ZERO;

Em 2021. o rendimento do viúvo foi de €15.250,30, vou ter de pagar €1.669,69

Mas atenção ao rendimento de 2021 e anos anteriores, onde a renda de casa (alugada) foi de €6.372,00, não entrando para dedução específica no IRS dado que o contrato de aluguer do andar está em nome da minha filha que se encontra desempregada há seis anos.

E o resto – água, electricidade, gás, alimentação, transportes, farmácia, saúde, Internet, etc. -, é tudo de borla?

Desde 2016 que não vejo a “cor” aos subsídios de férias e de natal porque são integralmente para liquidar o IRS e no último ano já nem chegam para isso… A minha pensão de reforma são € 629,00 + € 400,00 de pensão de “sobrevivência”, quando 85% da pensão é para pagar a renda de casa.

Francisco Gomes
06.04.2022