1000: Prepare o despertador. Vem aí uma chuva de meteoros

CIÊNCIA/ASTRONOMIA

Trata-se da chuva de meteoros das Eta Aquáridas, o resultado da passagem do Cometa Halley.

© Shutterstock Trata-se da chuva de meteoros das Eta Aquáridas, o resultado da passagem do Cometa Halley.

Os aficionados pela observação do céu nocturno poderão assistir esta noite a um evento muito especial com uma chuva de meteoros das Eta Aquáridas que, como conta o Observatório Astronómico de Lisboa (OAL), é responsabilidade dos detritos deixados pela passagem do Cometa Halley.

A chuva de meteoros das Eta Aquáridas está a decorrer desde o dia 19 de Abril e poderá ser observada até ao dia 28 de maio mas, como nota o OAL, tem o seu pico na madrugada de dia 5 de maio por volta das 05:00 (hora de Lisboa).

No entanto, diz a EarthSky que as previsões apontam para boas condições de observação nas madrugadas dos dias 4 a 6 de maio.

Os observadores poderão assistir à passagem de cerca de 50 meteoros por hora, pelo que talvez valha a pena levantar-se um pouco mais cedo para assistir a este evento especial.

As Eta Aquáridas foram baptizadas assim como uma homenagem à constelação de Aquário e poderão ser vistas tanto no Hemisfério Norte como no Hemisfério Sul.

Notícias ao Minuto
Miguel Dias
04.05.2022 às 14:27


Pelas vítimas do genocídio praticado
pela União Soviética de Putin, na Ucrânia
For the victims of the genocide practiced
by the Soviet Union of Putin, in Ukraine


 

992: O céu nocturno de Maio em 2022

Todos os planetas visíveis a olho nu podem ser observados no céu nocturno de Maio de 2022

Mercúrio será visível ao  anoitecer até dia 16 na constelação de Touro. Encontra-se visível na direcção Sudoeste. A sua magnitude no inicio do mês varia de 0,4 a 3,4. Consulte aqui toda a informação sobre a “Observação de Mercúrio” e sobre a “Visibilidade de Mercúrio em 2022”.

Vénus será visível ao amanhecer na constelação de Peixes, movendo-se depois  para a constelação de Carneiro. Encontra-se visível na direcção Sudeste.  A sua magnitude no inicio do mês varia de -3,8 a -4,0.

Marte será visível ao amanhecer  na constelação de Aquário, movendo-se depois  para a constelação de Peixes. Encontra-se visível na direcção Sudeste. A sua magnitude no inicio do mês varia de 0,7 a 0,9.

Júpiter será visível ao amanhecer na constelação de Peixes. Encontra-se na direcção Sudeste. A sua magnitude ao longo do mês varia de  -2,2 a -2,1.

Saturno será visível ao amanhecer na constelação de Capricórnio. Encontra-se na direcção Sudeste. No dia 22 Saturno estará a 4°N da Lua pelas 5 h. A sua magnitude ao longo do mês varia de 0,8 a 0,9.

Céu visível às 21:30 horas do dia 1 de Maio em Lisboa mostrando o planeta Mercúrio e as estrelas mais brilhantes: Sírio, Rígel, Betelgeuse, Prócion, Arcturo e Capela.

Céu visível às 05:30 horas do dia 15 de Maio em Lisboa mostrando os planetas Júpiter, Vénus, Marte e Saturno

Tabelas do nascimento, passagem meridiana e ocaso dos planetas

Úrano estará visível na constelação de Carneiro e Neptuno estará visível na constelação de Peixes, onde permanecerá durante todo o resto do ano. Os planetas Úrano e Neptuno terão de ser observados com telescópio, já que nunca são visíveis à vista desarmada.

Para obter mais informação sobre a “Visibilidade dos Planetas” consulte no nosso site a página Almanaques/Dados de 2022/ Visibilidade dos Planetas em 2022 e consulte também a tabela Nascimento, Passagem Meridiana e Ocaso dos planetas (Lisboa).

A chuva de meteoros das η Aquáridas em Maio

A Terra cruza a órbita do cometa 1P/Halley e são os restos deste cometa (que teve a sua mais recente passagem em 1986) os responsáveis pela chuva de meteoros das η Aquáridas. A sua actividade decorre entre 19 de Abril e 28 de Maio. As  η Aquáridas têm uma  THZ (Taxa Horária Zenital) estimada de 50 meteoros por hora. O pico desta chuva de meteoros ocorre no dia 6 de maio. O nome desta chuva de meteoros resulta dos traços das suas estrelas cadentes nos parecerem sair dum ponto da constelação do Aquário (o radiante). A constelação do Aquário só começa a nascer por volta das 3 horas da manhã a sudeste. Assim sendo, só a partir desta altura é que é possível a observação das η Aquáridas.

Tabela com a informação sobre as chuvas de meteoros das η Aquáridas

Eclipse total da Lua (16/05/2022)

Em Maio, vai ocorrer um Eclipse total da Lua,  em que na madrugada de segunda-feira dia 16, a lua começará a entrar na penumbra pelas 02h31. Às 3h28, a lua entra na sombra e ficará completamente coberta a partir das 04h29. Pelas 05h12 o eclipse atinge o seu máximo, permanecendo na totalidade até às 05h54. A partir das 05h54, a Lua começa a sair da sombra, saindo totalmente pelas 6h56, terminando a última fase do eclipse pelas 7h52.

A lua em Lisboa nasce às 20h11 de dia 15 e põe-se às 06h28 de dia 16, o que quer dizer que, se as condições climáticas assim o permitirem, será possível acompanhar o eclipse até 28 minutos antes de sair completamente da sua totalidade.

No arquipélago da Madeira e dos Açores será possível ver a Lua a sair da sombra na sua totalidade.

A lua em Funchal nasce às 20h31 de dia 15 e põe-se às 07h14 de dia 16 de Maio de 2022.

A lua em Ponta Delgada nasce às 20h19 de dia 15 e põe-se às 06h39 de dia 16 de Maio de 2022.

Fases da Lua em Maio

Como é bem conhecido, as fases da lua são determinadas pelas posições relativas do sistema sol-lua-terra. À medida que a lua se move à volta da Terra, ambos os astros progridem à volta do sol, ocorrendo todos os meses Lua Cheia quando há um alinhamento do tipo Sol–Terra–Lua. A Lua Nova ocorre quando há um alinhamento do tipo Sol–Lua–Terra e nas posições intermédias ocorrem o Quarto Crescente e Quarto Minguante. O período que a lua demora para passar pela mesma fase é de 29,5 dias, conhecido como mês sinódico (ou uma lunação).

Para obter mais informação sobre as “Fases da Lua” consulte no nosso site a página Almanaques/Dados de 2022/ Fases da Lua e consulte também a tabela Nascimento, e Ocaso da Lua (Lisboa).

A órbita lunar em Maio

A órbita da lua é aproximadamente uma elipse de excentricidade média 5,5%. A lua demora 27,3 dias a completar a translação (um mês lunar). A órbita elíptica faz com que a lua ora esteja mais perto, ora mais longe da Terra. O ponto orbital mais próximo da Terra é denominado Perigeu e o ponto mais afastado chama-se Apogeu. A distância média Terra-Lua é <dTL>= 384.400 km. A tabela abaixo indica os instantes do apogeu e perigeu lunar com a distância da Terra à Lua em unidades de RT (Raio Terrestre).

Tabela com a informação sobre o Apogeu e Perigeu lunar

Para obter mais informação sobre o “Apogeu e Perigeu lunar” consulte no nosso site a página Almanaques/Dados de 2022/ Apogeu/Perigeu lunar e consulte também a tabela Apogeu/Perigeu lunares e distâncias Terra-Lua.

OAL – Observatório Astronómico de Lisboa
2 Mai 2022


Pelas vítimas do genocídio praticado
pela União Soviética de Putin, na Ucrânia
For the victims of the genocide practiced
by the Soviet Union of Putin, in Ukraine


 

857: O céu nocturno de Abril em 2022

Novidade: Este mês preparamos uma animação sobre o céu nocturno de Abril. Para visualizar a animação em tamanho maior, por favor clique aqui.

Todos os planetas visíveis a olho nu podem ser observados no céu nocturno de Abril de 2022

Mercúrio será visível ao  anoitecer a partir do dia 9 na constelação de Peixes, movendo-se depois  para as constelações de Carneiro e Touro. Encontra-se visível na direcção Sudoeste. A sua magnitude no inicio do mês varia de -1,8 a -0,4. Consulte aqui toda a informação sobre a “Observação de Mercúrio” e sobre a “Visibilidade de Mercúrio em 2022”.

Vénus será visível ao amanhecer na constelação de Capricórnio, movendo-se depois  para a constelação de Aquário. Encontra-se visível na direcção Sudeste.  A sua magnitude no inicio do mês varia de -4,2 a -4,0.

Marte será visível ao amanhecer  na constelação de Capricórnio, movendo-se depois  para a constelação de Aquário. Encontra-se visível na direcção Sudeste. A sua magnitude no inicio do mês varia de 1,1 a 0,9.

Júpiter será visível ao amanhecer na constelação de Aquário, movendo-se depois  para a constelação de Peixes. Encontra-se na direcção Sudeste. A sua magnitude ao longo do mês varia de  -2,0 a -2,1.

Saturno será visível ao amanhecer na constelação de Capricórnio. Encontra-se na direcção Sudeste. A sua magnitude ao longo do mês é de 0,9.

Céu visível às 22:00 horas do dia 1 de Abril em Lisboa mostrando as estrelas mais brilhantes: Sírio, Rígel, Betelgeuse, Prócion, Arcturo, Aldebarã e Capela.

Céu visível às 06:00 horas do dia 15 de Abril em Lisboa mostrando os planetas Júpiter, Vénus, Marte e Saturno.

Tabela do nascimento, passagem meridiana e ocaso dos planetas

Úrano também visível no céu nocturno de Abril

Úrano estará visível na constelação de Carneiro e Neptuno estará visível na constelação de Aquário, onde permanecerá durante todo o resto do ano. Os planetas Úrano e Neptuno terão de ser observados com telescópio, já que nunca são visíveis à vista desarmada.

Para obter mais informação sobre a “Visibilidade dos Planetas” consulte no nosso site a página Almanaques/Dados de 2022/ Visibilidade dos Planetas em 2022 e consulte também a tabela Nascimento, Passagem Meridiana e Ocaso dos planetas (Lisboa).

A chuva de meteoros das Líridas e η Aquáridas

A partir de meados de Abril tem inicio as Líridas, umas das chuvas de meteoros de menor intensidade. Têm uma duração de visibilidade entre 14 a 30 de Abril, com a actividade máxima de apenas 18 meteoros na THZ (Taxa Horária Zenital). O pico desta chuva de meteoros ocorre às 20:00 horas do dia 22 de Abril o que impede de se observar o máximo da actividade. Como esta constelação só começa a nascer depois das 23 horas, a nordeste, as observações deverão iniciar-se na 2ª metade da noite. As Líridas são conhecidas desde os tempos antigos pois aparecem nos registos chineses de 687 a.C. onde os cronistas relataram que “as estrelas caem como chuva”.

As Líridas estão associadas aos restos de poeira deixados pela passagem do cometa Tatcher. Quando estas partículas entram na nossa atmosfera provocam um fenómeno de “chuva de meteoros” ou “estrelas cadentes”. O nome desta chuva de meteoros resulta dos traços das suas estrelas cadentes nos parecerem sair dum ponto da constelação da Lira.

Também a partir de meados de Abril a Terra cruza a órbita do cometa 1P/Halley e são os restos deste cometa os responsáveis pela chuva de meteoros das η Aquáridas. A sua actividade decorre entre 19 de Abril a 28 de maio. Será muito difícil observar as η Aquáridas, pois esta constelação só começa a nascer depois das seis horas da manhã a sudeste, próxima da altura do crepúsculo civil. O nome desta chuva de meteoros resulta dos traços das suas estrelas cadentes nos parecerem sair dum ponto da constelação do Aquário (o radiante).

Tabela com a informação sobre as chuvas de meteoros das Líridas e η Aquáridas

Céu visível às 23:00 horas do dia 22 de Abril de 2022 em Lisboa, mostrando o radiante das Líridas. É também indicada a localização da nebulosa Tromba de Elefante e do enxame globular de Hércules M13, dois objectos que destacamos este mês (ver também a animação).

Fases da Lua em Abril

Como é bem conhecido, as fases da lua são determinadas pelas posições relativas do sistema sol-lua-terra. À medida que a lua se move à volta da Terra, ambos os astros progridem à volta do sol, ocorrendo todos os meses Lua Cheia quando há um alinhamento do tipo Sol–Terra–Lua. A Lua Nova ocorre quando há um alinhamento do tipo Sol–Lua–Terra e nas posições intermédias ocorrem o Quarto Crescente e Quarto Minguante. O período que a lua demora para passar pela mesma fase é de 29,5 dias, conhecido como mês sinódico (ou uma lunação).

Para obter mais informação sobre as “Fases da Lua” consulte no nosso site a página Almanaques/Dados de 2022/ Fases da Lua e consulte também a tabela Nascimento, e Ocaso da Lua (Lisboa).

A órbita lunar em Abril

A órbita da lua é aproximadamente uma elipse de excentricidade média 5,5%. A lua demora 27,3 dias a completar a translação (um mês lunar). A órbita elíptica faz com que a lua ora esteja mais perto, ora mais longe da Terra. O ponto orbital mais próximo da Terra é denominado Perigeu e o ponto mais afastado chama-se Apogeu. A distância média Terra-Lua é <dTL>= 384.400 km. A tabela abaixo indica os instantes do apogeu e perigeu lunar com a distância da Terra à Lua em unidades de RT (Raio Terrestre).

Tabela com a informação sobre o Apogeu e Perigeu lunar

Para obter mais informação sobre o “Apogeu e Perigeu lunar” consulte no nosso site a página Almanaques/Dados de 2022/ Apogeu/Perigeu lunar e consulte também a tabela Apogeu/Perigeu lunares e distâncias Terra-Lua.

OAL – Observatório Astronómico de Lisboa
1 Abr 2022