951: Câmara de Lisboa aprova por unanimidade transportes gratuitos para jovens e idosos

– E OS DESEMPREGADOS NÃO TÊM DIREITO A TRANSPORTES GRATUITOS? Dia histórico? É preciso ter lata! Um DESEMPREGADO de longa duração, ter de pagar TRINTA EUROS para andar de transportes públicos em Lisboa, sem rendimento compatível, é HISTÓRICO?

SOCIEDADE/CML/TRANSPORTES PÚBLICOS GRATUITOS PARA ALGUNS

Carlos Moedas espera que a medida esteja em vigor, para os maiores de 65 anos, a partir de Junho ou Julho, e para os estudantes até aos 23 anos, em Setembro.

© Rita Chantre / Global Imagens

A Câmara de Lisboa aprovou esta quinta-feira por unanimidade a gratuitidade dos transportes públicos na cidade para residentes jovens e idosos, anunciou o presidente da autarquia, Carlos Moedas.

Numa declaração, no final da reunião do executivo que aprovou a proposta, Carlos Moedas (PSD) disse esperar que a medida esteja em vigor, para os maiores de 65 anos, a partir de “Junho ou Julho” e, para os estudantes até aos 23 anos, em Setembro, no arranque do próximo ano lectivo, depois da aprovação da Assembleia Municipal e da concretização de alguns “passos tecnológicos”.

O autarca considerou que este é um “dia histórico” para Lisboa, destacando que só mais “duas ou três” cidades na Europa já avançaram com uma iniciativa destas, no âmbito da luta contra as alterações climáticas.

“Também é um dia histórico naquilo que eu quis trazer para a política, que é a capacidade de fazer política com todos”, acrescentou Carlos Moedas, que governa a Câmara Municipal de Lisboa (CML) desde Outubro, sem maioria.

O presidente da Câmara de Lisboa garantiu que a medida agora aprovada resultou de um trabalho de meses com todos os vereadores, que foram ajudando a construir e a melhorar a proposta.

Diário de Notícias
DN/Lusa
21 Abril 2022 — 14:33


Pelas vítimas do genocídio praticado
pela União Soviética na Ucrânia
For the victims of the genocide practiced
by the Soviet Union in Ukraine


 

842: Carris Metropolitana acaba com 902 tipos de bilhetes

SOCIEDADE/TRANSPORTES PÚBLICOS

O novo sistema de transporte rodoviário da Área Metropolitana de Lisboa entra em funcionamento a 1 de Junho. Passa a existir apenas três tipos de bilhetes.

© Global Imagens

A entrada em funcionamento da Carris Metropolitana, novo sistema de transporte rodoviário da Área Metropolitana de Lisboa, em 01 de Junho, vai acabar com 902 tipologias de bilhetes e são criadas três novas.

“Com a nova criação da entrada em vigor do novo sistema de transporte rodoviário a 01 de Junho e 01 de Julho, temos de adaptar o novo sistema de bilhetes, o que chamamos ocasionais, à nova rede porque os operadores desaparecem como tal”, explicou à Lusa o primeiro-secretário metropolitano, Carlos Humberto.

De acordo com o responsável, os operadores como a Vimeca ou a Transportes Sul do Tejo “desaparecem e são substituídos por um serviço que tem uma marca que é a Carris Metropolitana”.

“Portanto, toda a lógica de funcionamento de bilhetes da Vimeca ou da Rodoviária de Lisboa desaparecem porque deixam de prestar serviço”, acrescentou, sublinhando que os utentes vão ter de passar a comprar bilhetes que são da Carris Metropolitana de Lisboa.

Segundo Carlos Humberto, todos os bilhetes usados actualmente, e que podem ser utilizados até 01 de Junho ou 01 de Julho, vão deixar de existir, salientando que se trata de “uma filosofia completamente distinta” da que existia até agora.

“Todos desaparecem, são 902 tipologias de bilhetes que desaparecem e são criadas três novas tipologias, compra a bordo ao motorista ou pré-comprado”, disse.

Carlos Humberto lembrou que a nova bilhética irá começar a ser já implementada em 01 de Junho, quando entrar em funcionamento a Carris Metropolitana na área 4, a de menor dimensão relativa aos municípios da margem Sul: Alcochete, Moita, Montijo, Palmela e Setúbal.

Para as restantes áreas, 1, 2 e 3, a nova bilhética entra em acção em 01 de Julho.

A Carris Metropolitana, marca única e integrada dos transportes urbanos da Área Metropolitana Lisboa, é lançada oficialmente esta sexta-feira, em Lisboa.

AML dividida em quatro áreas

Em termos de circulação de transportes, a AML ficou dividida por quatro áreas, sendo que a área 1 engloba as carreiras dos municípios da Amadora, Oeiras e Sintra, e intermunicipais de ligação a Lisboa e Cascais, que vão ser operadas pela empresa Viação Alvorada, tendo 133 linhas (35 das quais novas).

Já a área 2, corresponde aos municípios de Mafra, Loures, Odivelas e Vila Franca de Xira (operados pela empresa Rodoviária de Lisboa) e intermunicipais de ligação a Lisboa, com 218 linhas (31 novas), enquanto a área 3 corresponde a Almada, Seixal e Sesimbra, que será operada pela empresa Arriva, e intermunicipais de ligação ao Barreiro e Lisboa, com 116 linhas (43 novas).

A área 4 diz respeito aos municípios de Alcochete, Moita, Montijo, Palmela e Setúbal, será operada pela empresa Alça Todi, e intermunicipais de ligação ao Barreiro e Lisboa, prevê 111 linhas (21 novas), e é a primeira a entrar em funcionamento, em 01 de Junho.

A nova bilhética será da responsabilidade do orçamento da Transportes Metropolitanos de Lisboa, empresa responsável por toda a operação de serviço público de transporte rodoviário de passageiros municipal e inter-municipal através da Carris Metropolitana, marca única e integradora da operação rodoviária, sendo também responsável pela gestão do sistema de bilhética do Metropolitano.

Diário de Notícias
Lusa/DN
01 Abril 2022 — 07:28