1048: Pensionistas que recebem até 1.108 euros têm aumento extra (de até € 10,00) com retroactivos a Janeiro

– Vamos lá desmontar mais esta falácia a ver se nos entendemos! Diz a governança que “Em 2021, o aumento extraordinário foi pago aos pensionistas que recebem até 658 euros (1,5 IAS).“. Ora, não explica se apenas se referem às pensões de reforma propriamente ditas, se acumulam as pensões de reforma com as Pensões de “Sobrevivência”. É que o último “aumento” que tive na pensão de reforma (€ 623,25), foi de uns miseráveis € 5,81; na Pensão de “Sobrevivência” (€ 155,78), foram uns astronómicos € 1,45. Ora, se juntaram a pensão de reforma com a pensão de “sobrevivência”, o valor total foi de € 779,03 o que passou dos até € 658,00 (1,5 IAS) passíveis de aumento. Como o actual valor das duas pensões, com o astronómico aumento de € 7,26 passou para (€ 786,29) que penso ficam abaixo dos € 1.108,00 estipulados no OE 2022, ganhei a lotaria de até € 10,00 de aumento e já marquei mesa no Gambrinus para uma almoçarada de marisco com entradas de lagosta, lavagante, lagostins e terminar em gambão moçambicano, tudo regado com um esfusiante Lour-inho Alentejo branco 2019 (12,5%) (Cortes de Cima).

A Pensão de Sobrevivência é um valor pago mensalmente (no início de cada mês), cujo montante é determinado em função da pensão de reforma que o falecido teria à data do óbito. É uma pensão paga a familiares do falecido (beneficiário do regime geral ou do regime rural da Segurança Social) e destinada a compensálos pela perda de rendimentos que resulta do seu óbito.

SOCIEDADE/PENSIONISTAS/AUMENTOS DE MISÉRIA

O valor da actualização automática que foi efectuada em Janeiro é incorporado no valor da actualização extraordinária.

Sistema de convocatória para vacinação por SMS não está a funcionar para idosos.

Os pensionistas que recebem até 1.108 euros por mês vão ter este ano um aumento extraordinário de até 10 euros com retroactivos a Janeiro, confirma a proposta de Orçamento do Estado para 2022 (OE2022) entregue esta quarta-feira no parlamento.

“Em 2022, o Governo procede a uma actualização extraordinária das pensões, com efeitos a 01 de Janeiro de 2022”, pode ler-se na proposta orçamental.

Segundo o documento, a actualização extraordinária “é efectuada pelo valor de 10 euros por pensionista, cujo montante global de pensões seja igual ou inferior a 2,5 vezes o valor do indexante dos apoios sociais (IAS)”, ou seja, 1.108 euros.

O valor da actualização automática que foi efectuada em Janeiro é incorporado no valor da actualização extraordinária.

Em Janeiro, as pensões foram actualizadas de acordo com a lei que tem conta a inflação e o crescimento económico com aumentos entre 1% e 0,24%.

De acordo com a proposta do OE2022, “os retroactivos que sejam pagos ou colocados à disposição dos pensionistas, em virtude da actualização extraordinária prevista no presente artigo, são objecto de retenção na fonte autónoma, não podendo, para efeitos de cálculo do imposto sobre o rendimento das pessoas singulares (IRS) a reter, ser adicionados às pensões dos meses em que são pagos ou colocados à disposição”.

A taxa de retenção a aplicar aos retroactivos “é a que corresponder ao valor das pensões referentes ao mês em que aqueles são pagos ou colocados à disposição”, prevê o documento.

O aumento extraordinário já tinha sido anunciado pelo Governo e vai abranger cerca de 1,9 milhões de pensionistas e terá um custo de 197 milhões de euros, de acordo a apresentação do ministro das Finanças, Fernando Medina.

Em 2021, o aumento extraordinário foi pago aos pensionistas que recebem até 658 euros (1,5 IAS).

Diário de Notícias
DN/Lusa
13 Abril 2022 — 15:23


Pelas vítimas do genocídio praticado
pela União Soviética de Putin, na Ucrânia
For the victims of the genocide practiced
by the Soviet Union of Putin, in Ukraine


895: António Costa: mantemos a estratégia de aumento de rendimentos

– Essa afirmação, sr. António Costa, primeiro-ministro de Portugal, não passa de FAKE-NEWS… Feita a minha simulação do imposto de IRS de 2021 (que apenas vou entregar no último dia para “descansar” das prestações (7) da última liquidação do IRS de 2020, terminada em 30.03.2022), continuo a ser ROUBADO nos subsídios de férias e de natal, que já nem chegam para isso! Dúvidas? VER ESTE ARTIGO NESTE BLOGUE – Mais um “ASSALTO” a quem menos tem…. Em 2021, na condição de viúvo, a taxa foi de 28,50% e vou ter de pagar €1.669,69. A minha pensão de reforma são € 629,00 + € 400,00 de pensão de “sobrevivência” pelo falecimento de minha esposa, quando 85% da pensão (€ 531,00) é para pagar a renda de casa que não pode ser abatida nas deduções dado que o contrato de arrendamento está em nome de minha filha (DESEMPREGADA HÁ SEIS ANOS). Por isso, sr. António Costa, diz V. Exa. que vai manter a “estratégia” de aumento de rendimentos? ONDE? PARA QUEM? FUI “CASTIGADO” POR TER FICADO VIÚVO?

“Não podemos embarcar na ilusão de que só se controla os preços com aumento de rendimentos”

Depois de ver o programa de governo legitimado no Parlamento, o líder do PS garante este sábado ao partido que irá combater a inflação gerada pela guerra na Ucrânia e manter as promessas eleitorais, os aumentos de salários e pensões já previstos.

Diário de Notícias
Paula Sá
09 Abril 2022 — 12:13

 


Pelas vítimas do genocídio praticado
pela União Soviética na Ucrânia



 

619: Subsídio do cuidador informal só para famílias com rendimento inferior a 576 euros

– Infelizmente, fui cuidador informal de minha esposa durante mais de seis anos. Sem conhecimento da doença, dos processos, sem qualquer ajuda quer de médicos, SNS, entidades ligadas à área de Alzheimer, embora pedisse pelos meios disponíveis, tudo era processado a troco de verbas incomportáveis. Tive de me desenrascar durante todo esse tempo sozinho e com a ajuda da minha filha mais velha, quando chegava a casa do emprego e aos fins de semana. Houve anos, desses seis, que saí de casa apenas duas vezes (e não foi por confinamento pandémico) para levá-la ao hospital, à consulta de psiquiatria ou de neurologia onde apenas a encheram de drogas que arrasaram a estabilidade orçamental da casa. Esta gente que decide estas verbas de pseudo-ajuda, neste tipo de doença, não possui a mínima noção do que é ser pobre e ter de gastar centenas de euros na farmácia, a maior parte dos medicamentos a servirem de teste e a paciente de cobaia. É o país que temos, infelizmente.

SOCIEDADE/CUIDADORES INFORMAIS

O montante de referência do subsídio de apoio ao cuidador informal principal é igual ao valor do Indexante dos Apoios Sociais (IAS), ou seja, 443,20 euros.

© André Vidigal/Global Imagens

O cuidador informal principal só tem acesso ao respectivo subsídio de apoio se o rendimento de referência do agregado familiar for inferior a 576,16 euros, de acordo com portaria publicada esta terça-feira em Diário da República.

A portaria, que entra em vigor a partir de quarta-feira, determina o montante do subsídio a atribuir ao cuidador informal principal, bem como qual deverá ser o rendimento de referência do seu agregado familiar para poder ter acesso a esse mesmo subsídio.

Tal como está definido na portaria, o montante de referência do subsídio de apoio ao cuidador informal principal é igual ao valor do Indexante dos Apoios Sociais (IAS), ou seja, 443,20 euros.

Por outro lado, “o rendimento de referência do agregado familiar do cuidador informal principal não pode ser igual ou superior a 1,3 do valor do IAS”, ou seja, 576,16 euros.

Em declarações à agência Lusa, a vice-presidente da Associação Nacional de Cuidadores Informais apontou que o valor do subsídio é baixo e criticou que o valor de referência do rendimento do agregado familiar tenha aumentado de 1,2 IAS em contexto de projectos-piloto para 1,3 IAS agora que o estatuto foi alargado a todo o país.

“Isto ainda vai considerar menos famílias com subsídio de apoio”, criticou Maria Anjos.

Por outro lado, apontou que “continua por definir, apesar de já ter sido muitas vezes pedido, como é que vai funcionar o descanso do cuidador”, uma vez que a portaria só fala no subsídio de apoio.

Chamou também a atenção para o facto de o subsídio de apoio não começar a contar a partir da data do pedido feito pelo cuidador informal, mas sim a partir da data da publicação do decreto regulamentar, ou seja, Janeiro de 2022.

Referiu ainda que ao valor que é pago de subsídio de apoio são retirados os valores por complemento por dependência ou o subsídio de assistência por terceira pessoa, o que faz com que haja “pessoas a receber 200 e poucos euros” de subsídio.

Diário de Notícias
DN/Lusa
22 Fevereiro 2022 — 13:04



 

383: Aldrabices q.b.

OPINIÃO

“Costa afirma que reduziu peso dos impostos no PIB e promete baixar IRS da classe média”

Não incluo no meu Blogue pessoal, propaganda partidária, seja ela de quem for porque já aqui referi, sou ATEU religioso e partidário. Quem estiver interessado em ler a notícia acima, basta clicar no link.

Mas voltando à vaca fria, é preciso não ter pudor para se produzirem afirmações deste teor e não é o disse-que-disse, mas a minha própria experiência que prova o que estou a escrever.

Como é que este político, actual (e ainda) chefe da governança deste País, pode explicar porque razão quando eu e minha esposa (já falecida há cinco anos e meio), tínhamos dois rendimentos (pensões de reforma), pagávamos na altura – e no tempo do famigerado governo PaF -, menos de metade do IRS do que hoje, na situação de viúvo, tenho de pagar.

Ficar sem os subsídios de férias e de natal (que já nem chegam), para liquidar o IRS, não é pagar impostos, é ROUBAR indecente e institucionalmente quem menos orçamento possui e (sobre)vive no fio da navalha.

Como é que este (e ainda) chefe da governança deste País, explica como pode um contribuinte, com menos de metade do rendimento que possuía quando era casado, ter agora de pagar, na situação de viúvo, com MENOS RENDIMENTO, mais do DOBRO de imposto de IRS de quando estava na situação de casado?

Que todos os políticos, sem qualquer excepção, sempre foram aldrabões, só os ingénuos e os que pertencem aos rebanhos partidários podem assimilar que isto é a Bem da Nação como se dizia durante o fascismo salazarista.

Agora, quererem impingir aldrabices a quem sofre diariamente com esta situação, é DESUMANIDADE, além de ser intelectualmente acéfalo, embora sejam doutores que nada tem a ver com o desempenho, seja ele qual for. Porque não é por possuírem um certificado académico de licenciatura e/ou doutoramento que são deuses a quem tudo é permitido.

E é permitido, porque existem outros acéfalos, que na altura das eleições continuam a votar nestes aldrabões, autênticos vendedores de banha da cobra.

Francisco Gomes
13.01.2022