1268: Este é o melhor momento para identificar um raro alinhamento de cinco planetas. Veja como vê-lo

CIÊNCIA/ASTRONOMIA/ALINHAMENTO PLANETÁRIO

Mercúrio, Vénus, Marte, Júpiter e Saturno estão em exibição de madrugada.

Planetas Vénus, Marte e Júpiter se alinham sobre a Ilha de Portland Dorset, Inglaterra, no Reino Unido. (Crédito da imagem: Oliver Taylor / Alamy )

O pássaro madrugador pega a espectacular observação do céu esta semana, enquanto cinco planetas marcham pelo céu antes do amanhecer.

Este raro alinhamento planetário tem sido visível desde o início de Junho. Mas a visão deve ser particularmente impressionante esta semana, já que Mercúrio está mais brilhante e a lua minguante se junta ao desfile dos planetas.

“Este é o início da manhã, então você tem que definir o alarme para fazê-lo – mas é apenas um momento divertido para ver planetas no céu”, disse Michelle Nichols, directora de observação pública do Adler Planetarium, em Chicago.

Como assistir o alinhamento de cinco planetas

O alinhamento é visível pouco antes do amanhecer no Hemisfério Norte. O melhor momento para procurar é cerca de 45 minutos antes do nascer do sol, hora local, disse Nichols.

Os planetas serão espalhados a partir do horizonte leste-nordeste, arqueando em direcção ao sul. Coincidentemente, eles estarão alinhados em sua ordem do Sol: Mercúrio, Vénus, Marte, Júpiter e Saturno. Esta configuração planetária em particular não ocorre desde 1864, informou o site irmão da Live Science, Space.com.

Saturno é o mais antigo deste quíntuplo a subir e será visível no céu sudeste pouco antes do amanhecer, na constelação de Capricórnio. Júpiter, na constelação de Peixes, será visível como um corpo muito brilhante ao lado; ele aparecerá mais do que duas vezes mais brilhante que Sirius, a estrela mais brilhante no céu, de acordo com Space.com.

Marte é um dos planetas mais fáceis de escolher por causa de sua coloração avermelhada; ele estará acima do horizonte oriental. Vénus, parecendo ainda mais brilhante do que Júpiter, vai subir no horizonte, à esquerda de Marte. Mercúrio será o último a aparecer nos 40 minutos ou mais antes do nascer do sol, espiando no horizonte à esquerda de Vénus.

Em 27 de Junho, a lua crescente fornecerá um sinal útil para Mercúrio, que será logo abaixo e à direita do crescente. Mercúrio também pairará perto de uma estrela de cor laranja chamada Aldebaran, que compõe o olho do touro na constelação de Touro.

Uma dica útil para escolher planetas é procurar uma luz constante, disse Nichols. Estrelas brilham, mas os planetas não.

Somando-se ao drama, a lua estará atravessando essa faixa de planetas ao longo da semana. Na quarta-feira (22 de Junho), a Lua estará à direita de Marte. De 23 a 25 de Junho, ele vai se empoleirar entre Marte e Vénus, tornando-se um crescente mais magro a cada noite. Quebre os binóculos antes do amanhecer de 27 de Junho, de acordo com o Space.com, e você pode pegar a última fatia de 3% da lua sentada à esquerda de um Mercúrio relativamente brilhante.

O que é um alinhamento planetário?

Os planetas visíveis não estão realmente alinhados no espaço, mas todos eles estão em um lado do sol. Da Terra, a falta de percepção de profundidade faz com que os planetas pareçam estar ao lado um do outro.

Mercúrio circunda o sol a cada 88 dias terrestres, Vénus a cada 225 dias, Marte a cada 687 dias, Júpiter a cada 12 anos e Saturno a cada 29 anos, de modo que esses alinhamentos ocorrem num horário irregular. A última vez que os cinco planetas visíveis foram alinhados foi em 2020, precedido em 2016 e 2005.

O alinhamento será visível mesmo na presença de poluição luminosa, mas alguns dos planetas – especialmente Mercúrio – são baixos no horizonte, então procure um ponto de vista com um horizonte claro do sul e leste, como uma costa ou outro ponto plano.

Originalmente publicado em Live Science
Por Guia de viagem de Stephanie Pappas
23.06.2022


 

Graça Freitas: “A pior coisa que nos pode acontecer é adoecer em Agosto”

Até parece que as doenças têm agenda própria ó dra. Graça Freitas! Qualquer mês do ano pode ser o início de um desequilíbrio físico e pimba! Percebi a sua analogia em ordem ao mês de Agosto, apenas pretendi ironizar um pouco. Para desanuviar. Também precisamos disso, agora mais que nunca: guerra na Europa; pandemia do covid-19 e surto do vírus da macacada, são o prato forte da nossa existência diária! Haja um digestivo para amainar… 😂

SAÚDE PÚBLICA/PLANO DE CONTINGÊNCIA-MÓDULO VERÃO 2022

“Agosto não é um bom mês para ter acidentes ou doenças”, afirmou a directora-geral da Saúde, dirigindo-se ao presidente da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, Luís Pisco.

© Rita Chantre / Global Imagens

A directora-geral da Saúde, Graça Freitas, afirmou esta quarta-feira, na apresentação do Plano de Contingência – Módulo Verão 2022, que “a pior coisa que nos pode acontecer é adoecer em Agosto”, uma vez que as pessoas estão longe do seu médico, centro de saúde e hospital.

“Agosto não é um bom mês para ter acidentes ou doenças”, acrescentou, citada pelo JN, dirigindo-se ao presidente da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, Luís Pisco.

A líder da Direcção-Geral da Saúde (DGS) falou dos comportamentos de risco em férias, e pediu atenção redobrada às crianças, devido aos acidentes de viação, às quedas e aos afogamentos, tendo ainda alertado os adolescentes para as lesões medulares causadas pelos mergulhos.

Graça Freitas recordou ainda que Portugal tem muitas doenças sexualmente transmissíveis, como a sífilis, assemelhando-se nesse aspecto a “um país pouco desenvolvido”.

A responsável lembrou também que o bacalhau à Brás é, todos os Verões, um protagonista de toxinfeções alimentares colectivas, devido ao desenvolvimento de salmonelas.

A directora-geral da Saúde considera que Portugal continua num patamar relativamente elevado de casos de covid-19, apesar de se encontrar em tendência decrescente.

Diário de Notícias
DN
22 Junho 2022 — 19:16


 

1266: Mais de 60% dos portugueses faz compras online

– Eu devo estar fora do radar destas – e de outras – sondagens, dado que NUNCA fui contactado para “entrar” na contagem…! A caminho dos 77 anos de idade, sempre fiz compras online desde que me lembre: Espanha, Irlanda, Inglaterra, China, EUA e Portugal. E ainda hoje mantenho o movimento, sempre que necessito, com empresas da Irlanda, Espanha e Inglaterra. EUA deixei de comprar por força da alfândega e do tempo de espera; China reduzi para 0% de compras. Pelo menos 3 vezes por semana, recebo compras on-line do Continente, Auchan e Minipreço. De produtos naturais, compro on-line no Celeiro Dieta e Myvitamins. Nesta circunstância, quantos mais portugueses não comprarão on-line e não entram para o barómetro?

COMPRAS ON-LINE

A faixa etária entre os 45 e 54 anos aumentou o volume de compradores online em Portugal, mas a geração mais jovem é a que continua a comprar mais pela Internet.

© DR

Mais de 60% dos inquiridos no Barómetro E-commerce da Marktest faz compras ‘online’, estimando o estudo serem 5,2 milhões os portugueses que compram em ‘sites’ de comércio electrónico, mais 4,2 pontos percentuais do que em 2021.

O barómetro, lançado em 2021, contou este ano com uma amostra de 6.000 entrevistas, nas quais os inquiridos mostraram um aumento também da frequência destas compras, aumentando de 40,3% para 43,8% aqueles que fazem compras pelo menos uma vez por mês.

Os dados da Marktest, grupo que se dedica a estudos de mercado e processamento de informação, revelam que o crescimento entre a segunda vaga de 2021 e a primeira vaga de 2022 aconteceu de forma quase homogénea entre homens e mulheres, com ganhos de quatro pontos percentuais entre compradores do sexo masculino, para 63,8%, e de 4,2 pontos percentuais entre as compradoras ‘online’, para 58,2%.

A primeira vaga de 2022 do barómetro revela também que, entre 2021 e 2022, a faixa etária entre os 45 e os 54 anos aumentou o volume de compradores ‘online’ em Portugal em quase sete pontos percentuais, de 57,4% para 64,1%, mas são as gerações mais jovens as que mais compram, respondendo comprarem regularmente 92,4% dos inquiridos entre os 15 e os 24 anos e 92,1% dos entre os 25 e os 34 anos.

A tendência de crescimento menos impressiva verificou-se na faixa etária entre os 55 e os 64 anos, com um acréscimo de 2,7 pontos percentuais, para 37,8% dos inquiridos que dizem ter hábitos de compra ‘online’.

Por classes sociais, a análise dos hábitos de compra ‘online’ conclui que a maior subida na segunda vaga do Barómetro E-Commerce se verificou na classe C1, com um aumento de 77,8% para 84,4%, continuando a ser a classe A/B, com 92,1%, a que tem maior número de compradores ‘online’.

Diário de Notícias
DN/Lusa
23 Junho 2022 — 13:18


 

1265: Parlamento Europeu aprova renovação de certificado da UE até Junho de 2023

SAÚDE PÚBLICA/PANDEMIA/COVID-19/CERTIFICADOS

Os eurodeputados aprovaram o acordo para extensão do quadro legal do Certificado Digital Covid-19 da UE por mais 12 meses. O acordo visa impedir restrições à livre circulação no espaço comunitário no caso de aparecimento de novas variantes ou outras ameaças.

© Artur Machado / Arquivo Global Imagens

O Parlamento Europeu deu esta quinta-feira ‘luz verde’ à renovação das regras relativas ao Certificado Digital Covid-19 da União Europeia (UE) até 30 de Junho de 2023, para evitar futuras restrições “desproporcionadas ou discriminatórias” à livre circulação.

Numa votação na sessão plenária do Parlamento Europeu, em Bruxelas, os eurodeputados aprovaram o acordo alcançado com o Conselho para extensão do quadro legal do Certificado Digital Covid-19 da UE por mais 12 meses, com 453 votos a favor, 119 contra e 19 abstenções (para cidadãos da União) e 454 a favor, 112 contra e 20 abstenções (para nacionais de países terceiros).

A ‘luz verde’ surge após o acordo alcançado a 13 de Junho com o Conselho da UE, que visa impedir restrições à livre circulação no espaço comunitário no caso de aparecimento de novas variantes ou outras ameaças relacionadas com pandemia.

“Em resposta ao pedido do Parlamento, o texto declara que os Estados-membros não devem restringir a livre circulação dos titulares do certificado de uma forma desproporcionada ou discriminatória”, informa a assembleia europeia em comunicado.

Caberá à Comissão Europeia avaliar o impacto do certificado na livre circulação e nos direitos fundamentais até ao final de 2022, podendo propor a sua revogação se a situação da saúde pública o permitir, com base nos últimos pareceres científicos do Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças e do Comité de Segurança da Saúde.

Para entrar em vigor, a prorrogação tem de ser formalmente adoptada pelo Conselho da UE, entrando em vigor no dia da sua publicação no Jornal Oficial da UE.

Em causa está o Certificado Digital da UE, comprovativo da testagem (negativa), vacinação contra a covid-19 ou recuperação de infecção com o vírus SARS-CoV-2, que entrou em vigor na União no início de Julho de 2021 para facilitar viagens dentro do espaço comunitário em quadro de pandemia.

É aos Estados-membros que cabe a decisão final sobre viagens.

Diário de Notícias
DN/Lusa
23 Junho 2022 — 12:49


 

1264: Casos confirmados de infecção por Monkeypox sobem para 328

SAÚDE PÚBLICA/SURTO/VÍRUS MONKEYPOX/INFECÇÕES

No dia em que OMS vai avaliar se o surto actual representa uma “urgência de saúde pública de dimensão internacional”, Portugal regista mais 11 casos de infecção por Monkeypox.

© Global Imagens

Portugal registou mais 11 casos de infecção pelo vírus Monkeypox, elevando para 328 o total de pessoas infectadas, anunciou esta quinta-feira a Direcção-Geral de Saúde.

Segundo a autoridade de saúde, todas as infecções são em homens entre os 19 e os 61 anos, tendo a maioria menos de 40 anos, que estão em “acompanhamento clínico, encontrando-se estáveis”.

Até agora, é em Lisboa e Vale do Tejo que se regista o maior número de casos, mas também foram reportadas infecções nas regiões Norte e Algarve.

A Organização Mundial de Saúde vai avaliar esta quinta-feira se o surto actual representa uma “urgência de saúde pública de dimensão internacional”, o seu nível mais alto de alerta.

A proliferação actual de casos é “incomum e preocupante”, declarou o director do organismo, Tedros Adhanom Ghebreyesus, quando justificou esta reunião.

A região europeia está no centro da propagação do vírus.

A infecção por Monkeypox, que não costuma ser mortal, pode causar febre, dor de cabeça, dores musculares, dor nas costas, gânglios linfáticos inchados, calafrios e fadiga. Depois aparecem erupções cutâneas (na face, palmas das mãos, solas dos pés), lesões, pústulas e crostas. Os sintomas geralmente desaparecem em duas a três semanas.

Diário de Notícias
DN
23 Junho 2022 — 11:33


 

1263: Alinhamento planetário: Saiba quando pode ver um show cósmico

CIÊNCIA/ASTRONOMIA

Há um fenómeno com que o Universo nos vai presentar e que só acontecerá novamente daqui a 18 anos. Basicamente, é o desfile de planetas mais espectacular do ano que acontecerá na manhã de 24 de Junho.

Os curiosos irão poder ver cinco planetas do Sistema Solar alinhados no céu: Mercúrio, Vénus, Marte, Júpiter e Saturno. Bom, na verdade, este será um alinhamento de sete planetas, pois Neptuno e Úrano também se juntarão ao show celestial. No entanto, estes dois planetas gigantes são muito escuros para serem vistos a olho nu.

E como vai poder ver este show cósmico? Ok, venha connosco, que vamos desvendar tudo.

Junho tem sido uma época fascinante astronomicamente falando. Durante semanas tivemos várias oportunidades de ver uma conjunção planetária muito rara. Sem a necessidade de binóculos e pouco antes do crepúsculo, Mercúrio, Vénus, Marte, Júpiter e Saturno foram vistos ao longo do mês.

O que é um desfile planetário?

É um evento astronómico que ocorre quando os planetas do Sistema Solar se alinham em uma mesma área do céu, visto da Terra.

Os eventos astronómicos que podem ser chamados de desfiles de planetas incluem:

  • eventos que ocorrem quando os planetas se alinham num lado do Sol em simultâneo, como observado acima do plano do Sistema Solar;
  • fenómenos visuais que acontecem quando os planetas do Sistema Solar aparecem num pequeno sector do céu ao mesmo tempo, visto por um observador terrestre;
  • noites em que todos os planetas do Sistema Solar podem ser vistos.

Outro termo para um desfile de planetas é “appulse“.

Os seguintes tipos de desfiles de planetas são diferenciados de acordo com o número de planetas participantes:

  • Mini desfile de planetas – 3 planetas;
  • Pequeno desfile de planetas – 4 planetas;
  • Grande desfile de planetas – 5 ou 6 planetas;
  • Imenso (total) desfile de planetas – todos os planetas do sistema solar (+ Plutão, às vezes).

Os planetas do Sistema Solar nunca se alinham numa linha perfeitamente recta, pois não orbitam no mesmo plano. Portanto, durante este espectacular evento, é possível ver planetas alinhados (ou apenas reunidos) na mesma parte do céu.

Quando foi a última vez que ocorreu um desfile planetário?

Todos os planetas do Sistema Solar alinharam-se de um lado do Sol em simultâneo, a 4 de Julho de 2020. No mês seguinte, os observadores também puderam ver todos os planetas numa só noite. Nesse dia realizou-se o raro desfile do planeta. Todos os oito planetas do Sistema Solar e o planeta anão Plutão alinharam-se de um lado do Sol, em simultâneo.

O próximo desfile planetário espectacular terá lugar em 2040. Cinco planetas participarão neste desfile: Mercúrio, Vénus, Marte, Júpiter, e Saturno. A Lua crescente será também localizada perto dos planetas.

Tendo em conta este espaço temporal, o fenómeno torna-se mais atractivo. Claro que certos alinhamentos, os mais comuns, acontecerão com mais frequência.

Por exemplo, três planetas alinham num lado do Sol simultaneamente duas vezes por ano, quatro planetas – uma vez por ano, cinco planetas – uma vez em cada dezanove anos, e todos os oito planetas do Sistema Solar – uma vez em cerca de cento e setenta anos.

Pensem bem, há um alinhamento que só acontece a cada 170 anos!

Então, no dia 24 de Junho o que vamos ver exactamente?

Depois de percebermos que somos brindados por vezes com espectáculos cósmicos que marcam a nossa existência, no dia 24 deste mês o cosmos vai mostrar-nos uma evento que aconteceu pelo última vez em 2004 e que teremos de esperar até daqui a 18 anos para vê-lo novamente.

Os planetas aparecerão no leste e mover-se-ão para o sul (ou para o norte para aqueles que observam do hemisfério sul). Mercúrio será o último planeta a aparecer, para completar a conjunção. Embora já tenhamos passado os dias em que Mercúrio e Saturno têm a distância mais curta (91 graus), há agora mais tempo para o ver: até 45 minutos antes do nascer do sol.

A título de curiosidade, caso não tenha oportunidade de estar a olhar para o céu na manhã de sexta-feira, saiba que, segundo a NASA, o próximo desfile destes planetas terá lugar a 8 de Setembro de 2040.

Nesse dia, 5 planetas serão visíveis a olho nu e poderemos localizá-los dentro de um círculo de cerca de 10 graus de diâmetro. O alinhamento incluirá Mercúrio, Vénus, Marte, Júpiter, e Saturno. A Lua crescente também será visível, posicionada entre Vénus e Saturno.

A tecnologia no seu smartphone pode ajudar

Se é um curioso como nós, então poderá mesmo instalar aplicações que o podem ajudar localizar e identificar facilmente os planetas na cúpula do céu. Assim, sugerimos que use as aplicações móveis como Star Walk 2 ou Sky Tonight. Basta apontar o seu dispositivo para o céu e as aplicações mostrar-lhe-ão para que objecto está a olhar. As notificações das aplicações vão ajudá-lo a manter-se a par dos eventos astronómicos mais notáveis.

Pplware
Autor: Vítor M
22 Jun 2022

Quem estiver interessado, também pode descarregar a app Stellarium para smartphone (https://play.google.com/store/apps/details?id=com.noctuasoftware.stellarium_free&hl=pt-PT) e para PC (https://stellarium-web.org/)

Stellarium – 22.06.2022

Stellarium 22.06.2022